Dicas e conteúdos sobre moda, tendências e bem-estar

Início » Anel solitário: saiba a origem, o significado e como usar

Anel solitário: saiba a origem, o significado e como usar

Um homem apaixonado se ajoelha perante à amada e tira uma caixinha do bolso. Todos sabemos o que vai acontecer: um pedido de casamento! A cena é conhecida por ser um clássico em filmes, novelas e livros – um verdadeiro conto de fadas. Mesmo nos dias atuais, com relacionamentos modernos, ganhar um anel solitário ainda é o sonho de muitas mulheres.

Todo o frisson causado pela peça não é à toa: o anel de compromisso ficou conhecido como símbolo de amor e respeito. Com o passar do tempo, o acessório ganhou novos designs, materiais e banhos, mas não perdeu sua característica principal: sua representação do amor.

Se você namora ou já é noiva, vai gostar de saber qual a origem do anel solitário, qual o significado dessa peça e como usar o seu. Mas, se você não tem um relacionamento sério, saiba que não há problema algum em desejar um solitário; atualmente, o anel pode ser usado em outras cerimônias e, até mesmo, como item de luxo no look.

A origem do anel solitário

anel solitário com pedra

O ser humano utiliza acessórios há muito tempo, mas um fato específico marcou o surgimento do anel solitário com o significado que conhecemos hoje. No ano de 1477, o arquiduque da Áustria, Maximiliano, teria presenteado a futura esposa, Maria, duquesa da Borgonha, com um anel.

Na época, acreditava-se que havia uma veia que ligava o dedo anelar esquerdo até o coração, denominada vena amoris, que significa, literalmente, “veia do amor” em latim. O arquiduque teria pedido para que a duquesa utilizasse o anel nesse dedo, para simbolizar a ligação que o casal teria quando se casasse.

Não existe comprovação científica dessa crença, mas a simbologia permanece até os dias atuais. O anel de Maria era composto por um aro liso e simples com um grande diamante em cima, pois Maximiliano queria impressionar a noiva e sua família. A partir daí, o diamante também se tornou um símbolo de amor e admiração.

Qual o significado do anel solitário?

Na antiguidade, quando os relacionamentos se davam para firmar contratos políticos, os anéis representavam o dote da noiva. O objeto servia para marcar a pessoa como comprometida, ao mesmo tempo em que era uma representação da posição social dos noivos.

Ao longo dos anos, os anéis, em geral, começaram a ser utilizados como símbolo do amor infinito, por causa de sua forma circular que não tem começo nem fim. Alguns registros históricos indicam que no século XV os casais apaixonados já trocavam alianças em cerimônias religiosas.

No cristianismo, o acessório significa união e fidelidade. Dessa forma, o anel solitário simboliza o amor puro e eterno, a ligação e o compromisso entre um casal. Hoje, a joia representa, também, glamour e elegância, o cumprimento de uma etapa. É comumente usada em outras cerimônias tradicionais, como festa de debutantes e formaturas.

Como usar o anel solitário?

anel solitário na mão

Mesmo sem comprovação científica da existência da veia do amor, o anel solitário continua sendo colocado no dedo anelar da mão esquerda, para ficar próximo ao coração. Porém, no Brasil, o costume é colocar o anel de noivado no dedo anelar da mão direita e movê-lo para a mão esquerda apenas no dia do casamento.

Você pode usar o mesmo anel de noivado na cerimônia ou substituí-lo por uma aliança. Nesse caso, não se esqueça de utilizar anéis aparadores de aliança como complemento. O fato é que a tradição de pedir alguém em casamento com o auxílio de um anel continua viva, mas o solitário ganhou outras funções.

Em festas de 15 anos, por exemplo, o pai da aniversariante pode presenteá-la com a joia para simbolizar sua transformação de menina em mulher. Em formaturas de faculdade, o mesmo acontece – o significado é de amadurecimento, respeito e elegância.

Não há regras para escolher o acessório. A melhor opção é aquela que combina com a pessoa que irá usá-lo – preste atenção ao tipo de anel que ela costuma usar, para ter uma noção. O tipo e o tamanho da pedra e a cor e o banho do item são fatores que devem ser considerados.

Apesar do nome, o anel solitário não precisa ficar sozinho! Ele pode ganhar a companhia de anéis delicados, formando uma composição meiga e chique. Para um visual contemporâneo, invista em anéis lisos ou pulseiras cravejadas que combinem com a pedra do objeto.

Se você está pensando que não pode oferecer um anel solitário porque não pode comprar um diamante, fique tranquilo: as semijoias são suas aliadas nesse momento! São peças de alta qualidade, durabilidade e beleza que vão encantar o seu amor.

As semijoias da Halita apresentam banho de Ouro 18k ou Ródio Branco, com pedras de zircônia, materiais incríveis com ótimo custo-benefício. Conheça nossas peças e demonstre seu amor de um jeito especial!

Halita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo